domingo, 26 de janeiro de 2014

Até quando teremos que presenciar cenas desumanas como essa?

local onde ela estava quando chegamos para resgatar
A desumanidade de algumas pessoas chega a chocar quando deparamos com cenas como essas (fotos).

Neste domingo (26/01), o Pedro (Carbin), sua esposa Márcia e Sueli Cano Maita da Apaasa, foram até um posto de combustível na chegada de Pilar do Sul, fazer o resgate de uma cachorra que estava sem parte de seu cérebro.

Foi de cortar o coração de todos que ali estavam. A cachorra não tinha sequer forças para reagir contra quem quer que chegue próximo á ela, talvez pela dor, talvez pelo desanimo de estar ali a dias naquelas condições, sem uma água, sem uma comida.

Acredita-se que possa ter ocorrido um ataque de algum animal onde a mesma foi mordida ou talvez tenha até recebido algum golpe de faca porque sua orelha estava totalmente dilacerada (por um fio para cair).

Obviamente esse ferimento infeccionou, os bichos tomaram conta da sua caixa craniana, o mau cheiro era insuportável, mas, a garra, a ansiedade e a vontade de salvar sua vida falaram mais alto no coração dessas pessoas que a resgataram.  A cachorra foi transportada para um local seguro (casa do Pedro/Márcia), tratada pela técnica de veterinária que faz estágio no canil municipal (Maira) e junto com a Márcia, foram retirando um a um, as larvas que ali estavam depositadas.

É inaceitável tamanho descaso das pessoas que provavelmente a viram por dias naquele local, nada fizeram para socorrer no inicio do ferimento, uma pessoa ligou para a associação ontem (25/01) para informar que ali existia um animal que estava ferido, obviamente esse buraco não apareceu da sexta para o sábado, o que mais podemos esperar da raça humana?

A associação e seus voluntários existe em Pilar do Sul desde 2006, lutam sem nenhuma condição financeira, pouca ajuda recebe de algumas pessoas, muitas vezes interrompem férias, natal, ano novo, almoço em família para dar esse tipo de atendimento e outros mais. Muitos reclamam de animais pelas ruas, mas, poucos fazem sua parte humanitária quando se deparam com situações semelhantes a essa ou até mesmo, se dão ao trabalho, de colocarem pelo menos um recipiente com água na frente de sua porta para matar a sede dos animais que vivem pelas ruas nesse calor insuportável que estamos vivendo nos últimos dias.

Tantos casos, estamos presenciando na mídia, nas redes sociais nos últimos dias, falando sobre punições e aplicações das leis dos direito dos animais para quem esta usando animais para pesquisas, vendas, procriações, abandonos e maus tratos. Quando será que o ser humano vai conseguir aplicar um pouco de caridade, respeito e amor à vida, sem que para isso seja necessário usar da força e das denuncias públicas?

Se cada um dedicasse um mínimo de tempo, boa vontade, colaboração, amor e humanidade em prol da natureza e da criação de Deus, tantos sofrimentos como essa pobre cachorra esta passando nesse momento, poderiam ser evitados. O homem e o animal foram criados pelo criador para viverem em harmonia. (essa com certeza era sua vontade...).



NR: Infelizmente antes de postar esta matéria recebo um telefonema de que a cachorra não resistiu e veio a óbito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário