terça-feira, 16 de setembro de 2014

Policia Civil de Pilar do Sul desmonta esquema de tráfico de drogas

Foto: Blog Toni Silva Sorocaba
Desde junho de 2013, a Polícia Civil de Pilar do Sul investiga um bando que vende drogas naquele município: “fornecedores”, “patrões”, “gerente do tráfico” e os “vapores” (que vendem entorpecentes aos usuários).

Para a polícia, os fornecedores são acusados de venderem drogas aos patrões do tráfico em Pilar do Sul. Eles recebem as drogas (crack, cocaína e maconha) fazem mistura para aumentar o lucro, fracionam os entorpecentes e depois entregam os produtos ao gerente deles que desenvolve a tarefa de distribuir os entorpecentes aos chamados pela polícia de "vapores”, que são adolescentes e jovens que vendem entorpecentes, uma parte é paga com drogas para uso próprio (sustentar o vício) e a outra parte é paga supostamente com dinheiro. 

Os policiais ainda souberam que um dos presos guardava drogas numa casa da Avenida Miguel Petrere, Bairro Campo Grande, em Pilar do Sul. Os suspeitos de participar do esquema de venda de drogas chegaram a demarcar território e dividir os bairros para venderem entorpecentes: Santa Cecília, Jardim Pinheiros, Jardim Ipê, Bonanza e Vale Verde.

As informações foram conseguidas por meio de interceptações telefônicas autorizadas pela justiça e, também por depoimento de testemunhas protegidas pelo provimento 32 da Corregedoria de Justiça (que garante sigilo da identidade do depoente). Após descobrir toda ação do bando, a polícia solicitou a prisão preventiva dos envolvidos para responderem presos pelo crime de associação ao tráfico de drogas (artigo 35 da lei 11.343/2006).

A justiça de Pilar do Sul mandou prender dois cunhados, dois irmãos, o gerente do tráfico, os considerados “vapores”, todos residentes em Pilar do Sul. Os entorpecentes eram escondidos em terrenos baldios e matas, mas aconteceu furto de drogas, por esse motivo eles passaram a esconder drogas em casas de vapores.

A polícia pediu bloqueio de conta nos bancos Bradesco e Itaú, porque afirma que o dinheiro movimentado nas contas é do tráfico e a indisponibilidade de imóveis e o sequestro de um veículo usado por um dos presos, porque segundo a polícia o automóvel foi adquirido com dinheiro do tráfico. 

A polícia não conseguiu totalizar a quantidade de drogas que eles movimentavam, porém, acredita que a quantidade era grande, somente em uma negociação um dos presos comentou em dez quilos de entorpecentes. Alguns procurados já estavam presos por outros crimes. Vinte e duas pessoas foram presas entre homens, adolescentes e mulheres mediante ação de policiais civis e militares.

Fonte: Dados colhidos através do Blog Toni Silva Sorocaba





Nenhum comentário:

Postar um comentário