quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Bebê de Pilar do Sul aguarda cirurgia em SP e corre risco de vida

Bebê internado em Sorocaba aguarda cirurgia do SUS na capital 
(Foto: Reprodução/TV TEM)
Uma família que mora em Pilar do Sul, esta há um mês e meio aguardando uma vaga em hospitais da capital paulista para o bebezinho que nasceu com sérios problemas no coração e precisa de uma cirurgia para sobreviver.

O bebê do sexo masculino que nasceu a 46 dias atrás, esta internado no Conjunto Hospitalar de Sorocaba à espera do procedimento feito pelo SUS – Sistema Único de Saúde. Segundo depoimento de uma tia, Cristiane Kelly de Oliveira que vai todos os dias ao hospital em busca de informações, diz que não consegue ver o bebê, não consegue entrar ou falar com qualquer médico, diz que é barrada já na portaria. “Eu também estou correndo atrás de tudo há muito tempo, faz 44 dias que estou nessa correria", diz.

Desde que nasceu, há 46 dias, o menino está internado no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (SP) à espera do procedimento feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Apenas dois hospitais da capital fazem a cirurgia.

A tia da criança, Cristiane Kelly de Oliveira, conta que a mãe tem problemas de saúde e não consegue viajar todos os dias para visitar o filho. Por isso, é ela que vai até o Hospital de Sorocaba diariamente em busca de informações.

Desesperada para conseguir uma vaga para o sobrinho, ela já procurou as ouvidorias do Ministério da Saúde, em SP, e da Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (CROSS), em Sorocaba. Mas até agora, nada foi resolvido e a situação se agrava a cada dia que passa.

"Falaram para mim que chegando aqui, a vaga já estaria aqui e até agora nada. Procurei a ouvidoria do CROSS, e o que eles falaram? Que tem que aguardar que tem muita gente na fila. Eu não posso mais aguardar", desabafa a tia.

A direção do Conjunto Hospitalar informou que o bebê está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e deve ser transferido no início de janeiro para um hospital especializado em cardiologia na capital. Se tiver condições clínicas, a criança será encaminhada para a cirurgia cardíaca.

É lamentável como mesmo tendo direitos à saúde, as pessoas ainda continuam a mercê da burocracia e do descaso do poder público. Como pode uma família querer comemorar um Natal ou a chegada de um novo ano com um sofrimento tão grande como esse, ver um ser inocente que foi aguardado por nove longos meses correndo risco de vida e não poder fazer absolutamente nada?

Até quando, o povo vai continuar contribuindo com os encargos obrigatórios e quando chega a hora de poder usufruir de um beneficio de direito, tem que ficar mendigando, implorando por um socorro que, muitas vezes, chega tarde demais....?

Fonte: Algumas informações colhidas Do G1 Sorocaba e Jundiaí



Nenhum comentário:

Postar um comentário