segunda-feira, 30 de março de 2015

Pilar do Sul contra a Dengue


A Prefeitura de Pilar do Sul, por meio da Secretaria de Saúde e Bem Estar e da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, com o apoio dos colaboradores da VISA/VE (Vigilância Sanitária e Epidemiológica) e os agentes de saúde do Instituto CORPORE, empresa contratada para desenvolvimento de ações de Prevenção e Proteção a saúde coletiva, está desenvolvendo o Projeto “PILAR CONTRA A DENGUE”.

O objetivo do projeto é a retirada de materiais inservíveis (materiais que não possuem uso ou velhos) que possam tornar-se possíveis criadouros do mosquito da Aedes Aegypti.

Os agentes de saúde visitaram as residências, orientando os moradores quanto e qual o material a ser retirado, informando à data que se procederá a coleta do material.  Informando, também, os riscos da doença como orienta o morador sobre métodos de erradicação do mosquito da Dengue.

Já foram visitados os bairros Bonanza, Pinheiro, Ipê, Vale verde, Nova Pilar III e Zona Industrial. Serão visitados os bairros Nova Pilar I e II.

As visitas dos agentes de saúde e as coletas serão realizadas em todo município.


A dengue
É um mosquito doméstico, que vive dentro ou ao redor de domicílios ou de outros locais frequentados por pessoas, como estabelecimentos comerciais, escolas ou igrejas, por exemplo. Tem hábitos preferencialmente diurnos e alimenta-se de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer.
Mas ele também pode picar à noite? Sim. Ele não deixa a oportunidade passar.

Por ser um mosquito que vive perto do homem, sua presença é mais comum em áreas urbanas, onde as fêmeas têm mais oportunidades para alimentação e dispõem de mais criadouros para desovar. A infestação do mosquito é sempre mais intensa no verão, em função da elevação da temperatura e da intensificação de chuvas – fatores que propiciam a eclosão de ovos do mosquito.

Principais criadouros
Pesquisas realizadas em campo indicam que os grandes reservatórios, como caixas d’água, galões e tonéis (muito utilizados para armazenagem de água para uso doméstico em locais dotados de infraestrutura urbana precária), são os criadouros que mais produzem Aedes aegypti e, portanto, os mais perigosos. Isso não significa que a população possa descuidar da atenção a pequenos reservatórios, como vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, lixos a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, entre outros. O alerta é para que os cuidados com os reservatórios de maior porte sejam redobrados, pois é neles que o mosquito seguramente encontra melhores condições para se desenvolver de ovo a adulto.
Na natureza, os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver até 450 dias fora d’água.

Como a dengue pode ser transmitida
A transmissão se faz pela picada dos mosquitos Aedes aegypti. Quando o vírus da dengue circulante no sangue de uma pessoa em viremia (geralmente um dia antes do aparecimento da febre até o sexto dia da doença) é ingerido pela fêmea do mosquito durante o repasto, o vírus infecta o mosquito e após um período de oito a doze dias de incubação, pode ser transmitido para outras pessoas durante futuros repastos. O mosquito permanece infectado por toda a vida (6 a 8 semanas).
O período de incubação no homem varia de 4 a 10 dias, sendo em média de 5 a 6 dias. Após este período surgem os sintomas da doença.

Sintomas
A infecção por dengue pode ser assintomática ou causar doença com quadros graves como, por exemplo: choque com ou sem hemorragia, podendo evoluir para o óbito.

Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e prurido cutâneo. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Nessa fase febril inicial da doença pode ser difícil diferenciá-la de outras doenças febris, por isso uma prova do laço positiva aumenta a probabilidade de dengue.

No período de diminuição ou desaparecimento da febre, geralmente entre o 3º e 7º dia da doença alguns casos irão evoluir para a recuperação e cura da doença, porém outros podem apresentar sinais de alarme, evoluindo para forma graves da doença.

O que fazer se estiver com os sintomas de dengue?
Em caso de suspeita de dengue procurar o serviço de saúde e evitar automedicação. Procurar o serviço de saúde mais próximo, fazer repouso e ingerir bastante líquido, pode ser água, sucos, soro caseiro ou água de côco. Retornar ao serviço de saúde para ser reavaliado.

Na presença de sinais de alarme e choque procurar imediatamente atendimento em unidade hospitalar.

Existe medicamento específico para combater ou prevenir a doença?
Não existem medicamentos específicos para combater o vírus ou prevenir que a pessoa adoeça. Toda pessoa com suspeita de dengue deve procurar um serviço de saúde.

Evite
Não existem medidas de controle específicas direcionadas ao homem, uma vez que não se dispõe de nenhuma vacina ou drogas antivirais. Atualmente, o único elo vulnerável da cadeia epidemiológica do dengue é o mosquito. Assim, o controle está centrado na redução da densidade vetorial, como por exemplo, mantendo o domicílio sempre limpo, eliminando os possíveis criadouros.

NOTIFICAÇÃO
Temos notificados até o momento: 43 casos
23 casos descartados.
16 CASOS POSITIVOS: 9 CASOS são IMPORTADOS e 7 CASOS são AUTÓCTONES.
4 CASOS AGUARDANDO RESULTADO DE EXAMES

MEDIDAS DE CONTROLE E AÇÕES DE COMBATE AO MOSQUITO
Para evitar esta situação, é preciso adotar medidas permanentes para o controle do vetor, durante todo o ano, a partir de ações preventivas de eliminação de focos do vetor. Como o mosquito tem hábitos domésticos, essa ação depende, sobretudo, do empenho da população.

A Secretaria de Bem Estar junto com a VISA/VE tem notificando todos os casos suspeitos e realizando exames para confirmar ou descartar cada caso.

Divulgação á população - alertas com carro de som, faixas em vários pontos da cidade, distribuição de panfletos e folders, os agentes comunitários de saúde estão fazendo visitas nas casas com orientações para limpeza de terrenos baldios, cuidados dentro de casa, etc.

Denuncie os focos do mosquito
As ações de controle da dengue ocorrem principalmente na esfera municipal. Quando o foco do mosquito é detectado, e não pode ser eliminado pelos moradores de um determinado local, a Secretaria Municipal de Saúde deve ser acionada.

NÃO ADIANTA O VIZINHO CUIDAR E EU NÃO CUIDAR DA MINHA PARTE, TODO MUNDO TEM QUE FAZER JUNTO.


Nenhum comentário:

Postar um comentário