terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

'Acabou com a família', diz prima de mulher que perdeu bebê em acidente

Lorena de  nove meses não resistiu e morreu no
local do acidente (Foto: Reprodução/TVTEM)

A bebê de nove meses Lorena Kamenseki, que morreu após um acidente na rodovia Francisco José Ayu, em Salto de Pirapora (SP), foi enterrada na manhã desta segunda-feira (15/02), no Cemitério Municipal São João Batista em Pilar do Sul (SP).

Lorena de apenas nove meses não resistiu e morreu no local do acidente. “A imprudência da motorista que estava embriagada acabou com a nossa família. Estamos sem palavras com o que aconteceu e todos estão em choque ainda. Parou a cidade de Pilar do Sul. Ninguém esperava por essa tragédia e estamos todos sem acreditar no que aconteceu”, ressalta Paola.

De acordo com a Guarda Civil Municipal, a motorista Maria de Lurdes de Souza Marinho, de 55 anos, atravessou a pista e atingiu o carro onde estavam Juliana Lucas Flora e seus dois filhos, Igor Kamenseki, de três anos, e Lorena. Juliana voltava de um chá de bebê em Sorocaba (SP).

De acordo com o tenente da Polícia Rodoviária, Leandro Fonseca, a batida foi tão forte que nem o bebê-conforto foi capaz de preservar a vida de Lorena. O laudo da perícia vai dizer se a cadeirinha da bebê estava colocada de maneira correta no veículo.

Já o menino foi levado para o Hospital Regional de Sorocaba, onde está internado com quadro clínico estável. Juliana teve ferimentos leves, recebeu atendimento na Santa Casa da cidade e foi liberada. "Ela recebeu alta, mas está machucada, tanto fisicamente quanto emocionalmente. É um choque muito grande. Ela voltava de um chá de bebê e, por causa de uma motorista bêbada, perdeu a filha de nove meses", afirma Paola.

A prima conta que, agora, o desejo da família é que a motorista seja punida. “Ela tem que pagar pelo que fez e ser punida, já que estava com sinais de embriaguez. Uma total falta de responsabilidade fez com que perdêssemos Lorena. Que tragédia", diz.

A tia de Juliana, Kelly Lucas, também afirma que o acidente afetou a família. "Sem palavras para o que aconteceu. Essa tragédia afetou nossa família e não sabemos nem o que falar sobre isso", afirmou em entrevista ao G1.

A motorista que causou o acidente está internada no Hospital Regional, sob escolta da Polícia Militar. Policiais rodoviários informaram que ela ficou presa nas ferragens após o acidente e, apesar de não ter sido submetida ao teste do bafômetro, foi possível constatar os sinais de embriaguez.

“Testemunhas contam que ela fazia um zigue-zague nas pistas. O médico que a atendeu disse que o nível de embriaguez era muito grande. Por isso, nós a autuamos em flagrante por embriaguez ao volante e também por homicídio com dolo eventual”, diz o delegado Gilberto Montenegro, responsável pelas investigações do caso.


Fonte: G1 ITAPETININGA E REGIÃO

Nenhum comentário:

Postar um comentário