quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Prefeitura abre espaço para nova reunião com servidores públicos que estão em greve



No segundo dia de greve os servidores públicos se reuniram novamente na praça central, em frente ao paço municipal para manifestação, nesta quinta-feira (25/02);

A intenção dos servidores públicos era de realizarem uma passeata até a secretaria de educação, conforme haviam acertado ontem (24/02) mas, logo no inicio da manifestação, o secretario de gabinete Beto Jordão levou a todos uma proposta para a realização de uma nova reunião às 15 horas no gabinete da prefeita Janete Pedrina de Carvalho Paes.

Assim sendo, a passeata ficou suspensa e todos deram apenas uma volta pela igreja matriz e se concentraram novamente em frente a entrada principal da prefeitura, onde pediam a presença da senhora prefeita para conversar com os servidores, o que não aconteceu porque ela estava em reunião com os secretários (finanças, RH e jurídico), para realização de cálculos e poderem expor na reunião agendada.

Em entrevista com alguns manifestantes, o que foi exposto é que: embora a prefeitura esteja argumentando de que existe uma margem de porcentagem que deve ser respeitada por lei de até 54% na folha de pagamento, e que, já fecharam o ano de 2015 com a porcentagem de 51%, seria impossível dar esses 10,48% integral agora, pois estariam fechando 2016 com 61,48%, alguns afirmam que se a folha esta alta é porque criaram cargos que não deveriam ter sido criados, deram aumentos em algumas áreas que também não deveriam ter sido dados e agora, ficam nesse sufoco. “é fácil resolver esse problema de folha de pagamento, dispensa os cargos que foram criados e vai sobrar para poderem ter a margem exigida em folha”, desabafa uma das participantes.

O presidente do sindicato Ovideo foi categórico em afirmar que “Não vamos aceitar nada menos do que os 10,48% de reposição de perdas. Veja bem, estão falando em reajuste salarial, não se trata de reajuste por ganhos, mas de reposição conforme previsto em lei e em concordância com a própria prefeita, e também queremos esse reajuste retroativo e não à partir de fevereiro conforme nos foi ofertado”.

Também durante a manifestação cogitou-se a possibilidade de realizarem um panelaço e uma passeata até o recinto de festas Chico Mineiro, onde amanhã estará sendo aberta oficialmente a Feira da FEAPS.

Com essa paralização, não estão sendo realizadas coletas de lixos e a cidade começa a apresentar um estado critico de sujeira, as aulas estão suspensas trazendo muitos transtornos aos pais, os serviços de saúde também estão paralisados ainda mais agora que todos estão preocupados com o mosquito dengue.

Alguns vereadores estiveram presentes nos dois dias de realização de assembleia na praça central, o vereador Antonio de Matos (fiscal Tilico) disse que não usou o palanque, pois, tem seu território que é a Câmara, onde faz suas oposições à prefeita, argumentou também que: “a situação financeira da Prefeitura é ruim porque houve a realização de um concurso “eleitoreiro” resultando num inchaço da folha de pagamento. Com o Toninho Padeiro a folha de pagamento consumia 48%, agora pulou para 52%, o pagamento dos 10,48% de reposição de perdas salariais é uma obrigação legal, não cabe discussão e nem negociação. “É lei”, a prefeita vem ameaçando terceirizar os serviços públicos para contornar a greve”. Finaliza Tilico.





Nenhum comentário:

Postar um comentário