sexta-feira, 3 de junho de 2016

Uso de fogos de artifício vai à Audiência Pública

Esteiras em estabelecimentos comerciais devem ser higienizadas 
Ficou deliberado durante a sessão ordinária desta quinta-feira (02/06) do Legislativo sorocabano que, antes dos dois projetos sobre a proibição do uso de fogos de artifício no Município que tramitam pela Casa serem votados, o tema será submetido à apreciação da população local em Audiência Pública, com o objetivo de debater o assunto com a comunidade. 

O primeiro deles é de autoria do vereador Jessé Loures (PV), proibindo o uso de produtos geradores de faíscas, fogos de artifício e sinalizadores, ou seja, qualquer espécie de show pirotécnico em locais fechados, públicos ou privados, como bares, boates, teatros e auditórios, entre outros, em Sorocaba; já o segundo projeto, do vereador Carlos Leite (PT), proíbe o comércio, o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos que produzam estampido (como bombas e rojões) sob pena de multa e até mesmo interdição de eventos no Município.

Por outro lado, foi aprovado em segunda discussão na sessão de ontem da Câmara Municipal o projeto do vereador José Antônio Caldini Crespo (DEM), que dispõe sobre a obrigatoriedade de higienização das esteiras dos caixas de supermercados, hipermercados, farmácias e demais estabelecimentos que comercializam alimentos ou medicamentos no Município. Segundo o projeto, o comércio deverá atender à legislação sanitária e terá prazo de trinta dias para adequação, sob pena de sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor, e foi aprovado com emenda de autoria do vereador Fernando Dini (PMDB), prevendo ainda que a data da última higienização seja afixada em local visível para conhecimento do consumidor.

Fonte: Jornal Diário de Sorocaba

NR: Parabéns aos vereadores Jessé Loures (PV) e Carlos Leite (PT) pela iniciativa e preocupação com o desagrado da maioria das pessoas com referência ao assunto. Um munícipe enviou uma mensagem via Wat para os vereadores de Pilar do Sul: “Fogos de artifício: barulho desnecessário e dinheiro jogado fora, além dos riscos devido a armazenamento inadequado ou manuseio sem conhecimento. Que tal aderir a essa tendência vereadores de Pilar do Sul?”.


Isso mostra que, realmente esse “inferno sonoro” já não esta sendo mais suportado pelos moradores desta cidade, “porque tem que ser com barulho e não apenas com luzes no céu que agradariam muito mais aos olhares dos adultos e crianças?”, desabafa uma senhora de 84 anos de idade que se diz por demais incomodada, quando isso ocorre em Pilar do Sul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário