segunda-feira, 18 de julho de 2016

Por falta de massa asfáltica, cidades cobrem os buracos com terra

Avenida Antonio Batista de Proença Km 13
Os motoristas que circulam pelas rodovias de Pilar do Sul e Sarapuí já não aguentam mais tamanho descaso por parte das prefeituras.

Esta semana registramos a precariedade que está a estrada que liga a cidade de Pilar do Sul a Sarapuí (Avenida Antonio Batista de Proença), e constatamos que os buracos existentes nessa Avenida estão sendo tapados apenas com terra vermelha e pedrisco, o mesmo ocorre com a estrada que liga o bairro Meia Légua.
Estrada do Meia Légua
O que acontece é que, quando chove, essa terra vira um verdadeiro lamaçal; os motoristas que por ali circulam ficam sem visibilidade e, dessa forma, caem nos buracos. Quando o tempo está seco a poeira é enorme e o perigo aumenta ainda mais, pois os veículos acabam tendo que passar para a pista contrária, se não quiserem cair nesses buracos. Ou então, por estarem cobertos com pedrisco acabam, com a velocidade do veículo, lançando pedras sobre os veículos que estão próximos ocorrendo, dessa forma, grande possibilidade de graves acidentes.

“Estamos muito preocupados, pois estamos em ano eleitoral e os pobres candidatos terão que colocar seus veículos nessas estradas em péssimas condições, que nós, simples mortais, enfrentamos nestes quase quatro anos de mandatos, para bateram em nossas portas para pedirem seus votos; mas com certeza eles chegarão prometendo as melhorias para todas as estradas e nós saberemos recebê-los de portas abertas, podem esperar”, desabafou, ironizando, um dos usuários que parou na estrada enquanto estávamos fazendo as fotos.

Outro motorista disse: “Essas estradas estão nessas condições por causa dos caminhões que transportam madeiras, assim como também está a Avenida Antonio Lacerda, em frente ao CTC, há meses toda destruída e até agora a prefeitura não multou ninguém e nem cobrou dessas empresas transportadoras os devidos reparos; e quem se prejudica somos nós que pagamos nossos impostos e nosso IPVA de maneira digna e honesta”.

Infelizmente por todos os locais (cidade, bairros, zona rural e rodovias) onde os veículos circulam só se vê buracos, uma massa asfáltica de péssima qualidade. Na área urbana as donas de casa reclamam da poeira nas roupas estendidas nos varais, do problema com a saúde devido ao pó que se acumula no ar e as rachaduras nos muros e paredes das casas pela circulação desses veículos de transporte de madeiras.

A população pede providências urgentes aos órgãos competentes.


Massa asfáltica feita grossa e com material de péssima qualidade que esta se soltando com facilidade





Nenhum comentário:

Postar um comentário