quinta-feira, 30 de março de 2017

Polícia Civil de Sorocaba prende advogado criminalista em Pilar do Sul

Polícia Civil em Frente o Escritório do Advogado

No início de 2017, um vídeo postado no aplicativo whatsapp mostrou cenas de sexo envolvendo uma adolescente de Pilar do Sul (adolescente maior de 14 anos) e um advogado criminalista, residente na mesma cidade.

Depois que o vídeo circulou pelas redes sociais na internet o caso foi levado à Delegacia Seccional de Sorocaba. Os delegados Fabrício Balarini e Alexandre Cassola iniciaram a investigação e analisaram imagens do vídeo, em seguida ouviram a adolescente. Ela relatou que não sabia que o ato sexual estava sendo gravado no interior do próprio escritório do advogado e que foi forçada a cometer o ato, disse ainda que após a divulgação do vídeo o advogado telefonou para ela (adolescente) e lhe ameaçou que não revelasse o fato.

A polícia solicitou a prisão preventiva do advogado e mandado de busca e apreensão na casa e no escritório do mesmo, situado na Rua Orlando de Almeida Sales, no Bairro Campo Grande, em Pilar do Sul (500 metros da Delegacia), solicitou também mandado de busca e apreensão na residência da mãe do advogado, na cidade de Itapeva-SP. A justiça ordenou prender o advogado e realizar busca e apreensão nos três locais.

Por volta das 10h30 desta quinta-feira, (30/03), policiais civis foram ao escritório do advogado e o prenderam. Ainda no local apreenderam celulares e computadores. Na casa do mesmo na mesma cidade também foram apreendidos computadores. Simultaneamente outra equipe foi na casa de sua mãe em Itapeva e lá foram apreendidas outras mídias.

A polícia acredita que além da adolescente, o advogado pode ter cometido mais delitos vitimando criança ou adolescente, para isso vai analisar todo material apreendido. A polícia ainda indiciou uma moça de 20 anos, que reside em Pilar do Sul, porque de acordo com a investigação essa moça teria divulgado as imagens da adolescente. A moça indiciada responde em liberdade.

A investigação continua com relação a terceiros porque a polícia pretende identificar mais pessoas que teriam divulgado as imagens pelo aplicativo whatsapp. O advogado responde por estupro (artigo 213 do Código Penal) e por gravar e publicar imagens de sexo envolvendo a adolescente (artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente). O advogado foi trazido para a sede do GARRA em Sorocaba. Na sexta-feira, 31/03, a polícia pretende ouvi-lo e depois será encaminhado ao sistema prisional da região (exceto à cadeia de seguro em Pilar do Sul).


Fonte: Dados colhidos do Sorocaba Noticia

Nenhum comentário:

Postar um comentário